julho 2019 - soGi - Sistema Online de Gestão Integrada
×

Quais benefícios ao adotar Consultoria em Gestão de Energia?

Sem a menor sombra de dúvida, um dos grandes pontos que gera preocupação na realidade das empresas é como promover uma gestão interna qualitativa. E, por isso, entender o que é consultoria em Gestão de Energia tem sido um dos recursos mais eficientes!

Da mesma forma que esse item é considerado algo realmente indispensável, pois pode se tornar um vilão quando é gerenciado de forma equivocada, gerando grandes gastos que podem até mesmo acarretar inúmeros problemas!

E vale salientar que tais gastos poderiam facilmente ser evitados, de forma a serem investidos em diversas outras melhorias e até mesmo outros aspectos que pudessem fazer a empresa crescer e prosperar no mercado.

Portanto, quem possui uma empresa e está cogitando ampliar seu negócio, deve e precisa entender como minimizar determinados gastos e ainda assumir uma postura consciente quando aos impactos que esses mesmos gastos podem acarretar de nocivo ao meio ambiente.

E tudo isso acaba sendo possível quando se aposta na obtenção do ISO 50001-2018 em gestão de energia!

O que é Consultoria em Gestão de Energia!

Para poder entender como de fato o que é consultoria em Gestão de Energia e como ela pode ser vital para o bem-estar e equilíbrio das contas da sua empresa, é preciso compreender primeiramente mais detalhes sobre o ISO 50001-2018!

Por que implementar Gestão de Energia?

O ISO 50001-2018 nada mais é do que uma norma de caráter internacional que tem como objetivo especificar de forma eficiente e intuitiva como se promover a gestão de energia.

Isso quer dizer que, tal norma permite estabelecer determinados parâmetros para o fornecimento, uso e ainda consumo de energia, contribuindo para que as empresas possam usar esse recurso de forma realmente qualitativa e promissora.

Em linhas gerais, tudo isso acontece por meio da implementação de um sistema de gestão de energia! Outro ponto importante e que merece ser evidenciado é que, tal certificação é amplamente indicada para todos os tipos de segmentos.

E isso independe até mesmo do seu tamanho, nicho de atuação e ainda dos produtos e/ou serviços que são ofertados – principalmente àqueles que tenham um elevado índice de gasto de energia!

O ponto é que, sua adequação é de suma importância para todas as empresas que estejam querendo de fato reduzir gastos e até mesmo que tenham a intenção de minimizar a emissão de gastos poluentes.

Diante de toda essa importância acerca desse assunto, principalmente em detrimento da busca por uma gestão realmente mais qualitativa e ainda sustentável, muitas empresas estão focando seus esforços em buscar uma consultoria em Gestão de Energia!

Afinal, uma empresa que priorize uma postura e processos sustentáveis acaba sendo vista de forma muito mais positiva perante o mercado – e para entender isso de forma realmente efetiva, é necessário conhecer mais de perto os benefícios associados à ISO 50001.

Conheça os benefícios ao considerar a implementação da ISO 50001-2018

Antes de evidenciar todos os pontos positivos e vantagens associados ao ISO 50001, é importante apresentar um contraponto quando sua eficiência simplesmente é ignorada.

Isso porque os impactos podem realmente ser negativos com relação à uma gestão eficiente de energia. Além disso, nos dias atuais, onde as tarifas estão sempre sofrendo uma eventual elevação (algo que pode mudar de um mês para o outro, inclusive) os custos podem ser bem substanciais.

Isso pode afetar uma série de questões para a gestão da empresa, afetando diretamente as operações e até mesmo diminuindo o poder de competitividade da corporação.

Outro detalhe importante é que, da mesma forma que faça parte da gestão ISO, a certificação ISO 50001 não é considerada obrigatória, porém, isso não anula em nada a sua necessidade no final das contas.

Isso porque, como já dito anteriormente, uma certificação de gestão de energia realmente eficiente poderá contribuir potencialmente com a sua empresa, estabelecendo processos que permitam uma substancial melhora do desempenho de energia.

Os benefícios mais evidentes vindo da Gestão de Energia

  • Redução de consumo de energia;
  • Melhora acerca da racionalização de recursos energéticos;
  • Elevação da eficiência energética;
  • Aprimoramento contínuo do consumo de energia;
  • Uma maior confiança de potenciais clientes e também parceiros, garantindo a dose ideal de credibilidade acerca da consciência do uso energia;
  • Agrega melhores práticas para a consolidação gestão de energia e ainda permite o reforço de bons comportamentos;
  • Ajuda determinadas instalações a avaliarem e ainda priorizarem a implementação de novas tecnologias para se promover uma eficiência energética, podendo assim haver uma melhor preparação para processos de auditorias.

Todos os benefícios citados acima são capazes de evidenciar uma importante redução dos custos de energia, bem como redução de emissões de gases do efeito estufa e ainda contribuindo para a diminuição dos impactos ambientais.

Diante de todos esses aspectos, sua empresa poderá ser capaz de comprovar um compromisso acerca do desenvolvimento sustentável, agregando, portanto, uma maior e sólida competitividade no mercado.

Não sabe por onde começar? Conte com uma Consultoria em Gestão de Energia!

O que a ISO 50001:2018 diz sobre Eficiência Energética
[Webinar] Tudo sobre a ISO 50001:2018 – Sistema de Gestão da Energia

Entender o que é consultoria em Gestão de Energia é o caminho mais promissor para se poder promover a implementação das normas ISO 50001-2018, visto que você poderá contar com metodologias eficientes e atuais vigentes na atual realidade do mercado.

Isso porque esse tipo de consultoria permite ajudar potencialmente no processo de organização e ainda a atender facilmente todos os requisitos necessários desta norma, e ainda monitorar requisitos de energia.

Isso acaba sendo possível por meio de diversos recursos para a elaboração de determinadas politicas, bem como a definição de vários objetivos e metas, diagnóstico energético e analise de dados para consolidar a tomada de decisões e ainda a apuração de resultados acerca do uso de energia.

Portanto, se a ideia é encontrar formas de se conseguir prevenir gastos com energia e ainda vivenciar todos os benefícios associados à ISO 50001-2018, certamente esse é o caminho mais promissor.

Em suma, saber o que é consultoria em Gestão de Energia poderá acabar elevando a eficiência do sistema de gerenciamento, reduzindo possíveis retrabalhos e até mesmo desperdícios, sem contar com a adoção de soluções de caráter alternativo para uma possível substituição energética!

Por que você deve pensar em contratar serviço de consultoria em Segurança de Alimentos?

Os estabelecimentos que armazenam ou comercializam alimentos precisam cumprir com uma série de normas que são essenciais para a segurança. É importante contar com uma consultoria em segurança alimentar para lhe ajudar nessa missão.

É cada vez mais frequente que as pessoas optem por comer fora de casa. Seja por conta da rotina atolada, ou mesmo pelo desejo de variar o cardápio, os brasileiros não pensam duas vezes antes de “pedir o jantar”.

Com certeza essa prática se tornou ainda mais recorrente com as facilidades promovidas pela tecnologia, como o surgimento de aplicativos de entrega de alimentos, que oferecem praticidade, variedade e preços bem atrativos.

Evite surtos e epidemias alimentares com a Consultoria em segurança de alimentos!

A aplicação da consultoria em segurança alimentar chega como uma estratégia interessante para ajudar no manuseio de ingredientes e produtos, garantindo assim a segurança de seu consumo. Isso envolve uma série de questões, tais como:

  • Higienização do ambiente;
  • Monitoramento das datas de validade;
  • Uso de equipamento e artefatos de proteção;
  • Controle de circulação de pessoas pelos ambientes;
  • Desperdício de alimentos;
  • Monitoramento da temperatura adequada, entre outras.

É importante entender que, para um empreendimento de alimentação, o funcionamento adequado da cozinha é o ponto mais importante. Por isso é essencial que tudo corra perfeitamente bem nesse ambiente.

O que o consultor em segurança de alimentos faz é justamente identificar os problemas a partir de uma análise baseada em informações previamente concedidas. Com isso, ele poderá direcionar você e a sua equipe para as soluções.

Esse profissional, que realiza a consultoria alimentar, fará uma análise completa das instalações, bem como do comportamento e cuidados dos profissionais envolvidos no manuseio e preparo.

Padronizar os processos pode ser uma estratégia!

Uma das estratégias que uma boa consultoria em segurança alimentar oferece é que você padronize alguns procedimentos, de modo que eles se tronem rotineiros e seguros. A implantação desses processos se dará a partir das necessidades da empresa.

A consultoria em alimentos é feita por um nutricionista profissional. Ele então ditará sugestões para que os processos sejam padronizados, de modo que a norma regente seja sempre seguida – por todos e qualquer funcionário.

  • ISO 9001 – padronização!

Quando falamos em consultoria de segurança alimentar, não podemos deixar de citar o ISO 9001 como um dos principais pontos de partida.

Ele é responsável por ditar as padronizações que podem ser implementadas em qualquer empresa, como normas de saúde ocupacional, de meio ambiente e de segurança.

Se trata de uma ferramenta estratégica que ajuda na organização dos procedimentos, fazendo com que a empresa, dessa forma, consiga entregar resultados melhores e muito mais satisfatórios aos seus clientes.

Lembramos que a certificação de ISSO só é disponibilizada quando a empresa consegue cumprir com uma série de etapas, chegando a um alto padrão de qualidade no que diz respeito às suas atividades.

Negligência no manuseio de alimentos!

O manuseio, preparo e estoque correto de alimentos não somente é essencial para livrar a empresa de possíveis multas e penalidades, como também é essencial para garantir a segurança dos consumidores.

Isso porque existem inúmeros quadros de saúde que se encaixam no que chamamos de DTA – Doenças Transmitidas por Alimentos. O consumo de alimentos de baixa qualidade, ou que sejam preparados de maneira errada pode ser responsável por doenças como:

  • Salmonella;
  • Escherichia Coli;
  • Staph Aureus (intoxicação alimentar);
  • Campylobacte.

Na maioria das vezes esses problemas se desenvolvem a partir de condições de saneamento duvidosas, utilização de água não potável ou má higiene dos alimentos e venda de alimentos contaminados.

Além de quadros preocupantes individualmente, essas doenças podem se tornar surtos, colocando em risco o bem-estar e a vida de muitas pessoas.

Ao contratar e atuar com uma empresa de consultoria segurança alimentar, você consegue diminuir potencialmente, ou até mesmo excluir esses riscos de seu estabelecimento.

Isso é importante para o bem-estar de seus consumidores, e com certeza é um diferencial competitivo, que tornará a reputação de seu estabelecimento ainda mais positiva entre os clientes e perante a concorrência.

Priorize os cuidados padronizados para tornar a rotina mais eficiente!

A palavra-chave para uma boa consultoria na área de alimentos é padronização! Quando você se enquadra nisso, consegue automaticamente atingir uma qualidade superior no que diz respeito aos cuidados com alimentos. E acompanhado de perto por uma boa consultoria em segurança alimentar, o processo não será árduo.

  • Procedimentos operacionais padronizados – POP´s:

Os Procedimentos Operacionais Padronizados (POP´s) estão descritos em um documento de fácil entendimento, e lista procedimentos obrigatórios para que determinada tarefa seja executada. Ele conta com informações acerca de:

  • Descrição dos procedimentos;
  • Acessórios obrigatórios;
  • Roteiro de inspeções;
  • Frequência da atividade;
  • Cumprimento de normas entre outros.

Os POPs devem ser claros e objetivos, e precisam ser compreendidos por todos os profissionais que tiverem acesso a ele. Todos os manipuladores responsáveis pela atividade devem ter acesso ao documento!

Conheça os serviços do Grupo Verde Ghaia – Consultoria em Segurança de Alimentos!

Como você pode entender até aqui, a consultoria em segurança alimentar é crucial para que a sua empresa ofereça um trabalho que não apenas satisfaça a clientela, mas que também garanta o bem-estar dos consumidores.

Agora é hora de pensar com carinho na empresa de consultoria em segurança alimentar que você vai contratar! O grupo Verde Ghaia consultoria alimentar é uma das melhores opções do mercado!

Especializada na implantação de estratégias voltadas para a segurança e certificações e consultoria de alimentos, a empresa é uma referência quando o assunto é ISO, OHSAS, BSI, SA e outras normas nacionais e internacionais.

São mais de 100 colaboradores trabalhando a frente de projetos que visam tornar o ambiente de trabalho mais saudável e seguro para todos, o que impacta diretamente na qualidade final do serviço – e, portanto, na satisfação dos clientes!

Contratar uma empresa que seja verdadeiramente eficaz e confiável para fazer a implantação das normas em serviços de alimentação é essencial. Isso ajudará a tornar a rotina mais adequada, enquanto eleva o padrão de qualidade.

A consultoria em segurança alimentar não deve ser negligenciada. Ela deve estar dentre as prioridades de uma empresa, e ser tratada com a devida importância.

Como evitar Acidentes de trabalho?

Acidentes de trabalho segundo a ISO 45001. Acidentes de trabalho podem ser evitados a partir de uma mentalidade mais cuidadosa. Afinal, você sabe o que é acidente de trabalho e como evitá-lo?

Você sabe o que é acidente de trabalho? Esse é um termo razoavelmente simples, e muito conhecido dentro das empresas. Mas nem todo mundo sabe explicar detalhadamente o que ele significa, ou mesmo qual é a sua finalidade.

Esse caso é considerado quando ocorre um acidente de um funcionário durante o exercício de sua profissão. O acidente pode causar lesões simples ou graves, e ainda gerar problemas de cunho psicológico, ou mesmo reduzir a mobilidade e raciocínio.

Para qualquer dessas situações, se o fato se dá durante horário de trabalho, caracteriza-se um acidente de trabalho. É claro que muitos acidentes são realmente imprevisíveis!

Mas, existem aqueles que podem ser previstos e até mesmo evitados. É justamente isso o que entende a norma ISO 45001, que entende que é possível implementar uma mentalidade voltada para a prevenção.

Ou seja, se a empresa entender o que é acidente de trabalho, e os riscos que estão à espreita, poderá criar estratégias funcionais para que nenhum acidente aconteça. É o velho e bom hábito de se antecipar!

O que é acidente de trabalho?

O que é acidente de trabalho?
A importância do Monitoramento Legal na prevenção de acidentes

Como falamos logo no início, existem alguns tipos de acidente de trabalho. É importante entender a diferença, e até mesmo analisar as atitudes que devem ser tomadas caso venha a acontecer esse problema.

  • Acidente de trabalho típico: esse tipo de acidente é o mais comum, e se refere a uma ocorrência em horário de trabalho, e dentro do ambiente de trabalho. São acidentes que acontecem enquanto o funcionário realizar as suas tarefas rotineiras.
  • Acidente de trabalho atípico: já para esse caso falamos de fatos que podem acontecer tanto dentro quanto fora da empresa, mas desde que em razão do exercício do trabalho.
  • Acidente de trajeto: esse tipo considera o profissional durante todo o seu trajeto de ida ou volta do trabalho, considerando que a partir daí o cidadão já é responsabilidade da empresa contratante. Ele contempla todos os meios de transporte.

São três tipos diferentes, mas todos são caracterizados como casos de acidente de trabalho, e por isso são equiparados pela lei para que haja um procedimento por parte da empresa.

Isso significa prestar desde o socorro inicial até o suporte e amparo familiar e de dependentes para a recuperação total – ou indenização em caso de morte ou sequelas. Os acidentes enquadrados como atípicos aparecem nos 20 e 21 da Lei nº 8.213/91. Veja quais são eles:

  • Doença profissional;
  • Doença do trabalho;
  • Acidente que colabore direta ou indiretamente para a morte ou a perda de capacidades;
  • Ato de agressão, sabotagem ou terrorismo praticado por colega de trabalho ou terceiro;
  • Imprudência, negligência ou imperícia de colega de trabalho ou terceiro;
  • Ato de pessoa privada do uso da razão;
  • Desabamento, inundação, incêndios;
  • Contaminação acidental durante o trabalho;
  • Acidente sofrido na execução de ordem ou realização de serviço fora do horário e local de trabalho;
  • Viagem profissional – para estudos e capacitação ou reuniões e trabalhos em geral – desde que tenha sido custeada pelo empregador.
  • Acidente ocorridos no horário de pausa ou almoço;

Em cada uma dessas situações estão caracterizados e podem ser identificados casos de acidente de trabalho. Quando isso acontece, é hora de preencher o CAT.

O que fazer em caso de acidente de trabalho? O que é e para que serve o CAT? 

Agora que você já sabeo que é acidente de trabalho, é hora de falarmos um pouco sobre a formalização utilizada para que haja o modelo de investigação de acidente de trabalho.

 Quando essa ocorrência acontece, é obrigatória a criação de um CAT – comunicado de acidente de trabalho modelo do acidente de trabalho.

Esse documento deve conter todas as informações acerca da circunstância em que o acidente trabalho ocorreu. É importante ressaltar que, ainda que a ocasião não gere afastamento, o CAT deve ser emitido.

Além disso, a comunicação do acidente de trabalho pode ser realizada para casos em que ocorrem dentro das dependências da empresa, o CAT também será emitido em situações de ocorrências no horário de almoço, durante o trajeto de ia e vinda ao trabalho, viagens a serviço, entre outros.

Investigar a origem dos acidentes é a melhor estratégia!

A partir do momento em que você entende o que é acidente do trabalho, e compreende a importância sobre a comunicação do acidente de trabalho, entramos em uma nova etapa: a de modelo de investigação de acidente de trabalho.

Tão importante quanto estar de acordo com todos os requisitos legais referentes a execução de sua atividade, a empresa precisa também apostar em métodos de conscientização e prevenção de acidentes.

Para isso, é importantíssimo que a liderança esteja envolvida em todo o processo de investigação de acidente de trabalho, e identifique quais foram as situações que levaram ao ocorrido, podendo assim desenvolver estratégias para evitar que se repitam.

Aposte na gestão de SSO para evitar acidentes na sua empresa!

Você pode perceber até aqui que as respostas para “o que é acidente de trabalho?” vai muito além do que imaginava. Essa é uma questão que demanda atenção, e precisa ser tratada com o devido cuidado.

Para evitar casos de acidente de trabalho, ou mesmo diminuir as possibilidades de isso acontecer, a implantação de um sistema de gestão em SSO (Saúde e Segurança Ocupacional) é a melhor alternativa.

Nesse caso, é possível acompanhar o surgimento dos riscos, e promover uma conscientização coletiva dentro da empresa para que acidentes sejam evitados, antecipando soluções.

A implantação de um SSO sugere práticas que vão desde a análise de riscos ocupacionais, investigação de incidentes e análise crítica da Liderança, e que juntas podem trazer bons resultados no que diz respeito aos cuidados e bem-estar de seus funcionários.

Os cuidados relacionados ao acidente de trabalho é responsabilidade de todos da empresa. Desde o funcionário que identifica situações de risco e comunica a gestão, até o RH, que deve estar sempre pronto para emitir o CAT com informações corretas.

Saber o que é acidente de trabalho é o primeiro passo para trabalhar de maneira que isso não aconteça dentro de sua empesa. Mas, diante de uma ocorrência, o mais indicado é sempre prosseguir com as instruções dentro das normas regentes.

Conceito e aplicação da Segurança no trabalho

Conceitos básicos sobre a Segurança do Trabalho. As normas regulamentadoras sobre o que é Segurança do Trabalho estão previstas na ISO 45001, e defendem ações de prevenção a acidentes.

Para que uma empresa funcione, dezenas, e às vezes milhares de pessoas se dedicam a ela. Os preceitos sobre o que é Segurança do Trabalho são os grandes responsáveis por assegurar que esses trabalhadores estarão mais seguros dentro de suas funções, e enquanto estiverem em horário de trabalho.

Acidentes acontecem, e muitas vezes não podem ser previstos. A ideia de Segurança do Trabalho existe com a finalidade de minimizar os riscos, e proteger os funcionários dentro do ambiente – seja ele corporativo, fabril, comercial e etc.

Apesar de ser assunto de extrema importância tanto para o trabalhador quanto para o empregador, muita gente ainda tem dúvidas e questionamentos a respeito dos conceitos básicos de segurança no trabalho.

ISO 45001:2018 – o que diz a norma? O que é segurança do trabalho?

Curso Ead da Verde Ghaia com Deivison Pedroza – ISO 45001

Para diminuir os riscos corridos por aqueles que trabalham dentro das empresas, existem normas que ajudam a criar um ambiente um pouco mais seguro – mesmo para cargos que são considerados arriscados.

Talvez você não saiba, mas um número gigantesco de pessoas sofreu acidentes ou desenvolveu problemas de saúde em decorrência de seus trabalhos. É justamente para contrabalancear isso que surgiu a ISO 45001, que traz consigo uma série de normas para aumentar a segurança dentro das empresas.

A versão 2018 dessa ISO pretende estimular um pouco mais a preocupação dos empresários e empreendedores no que diz respeito a antecipar os riscos, e promover um ambiente mais seguro, esclarecendo o que é segurança do trabalho.

A ideia é justamente que as empresas promovam essa segurança para evitar acidentes, e não apenas ajam dentro das normas quando o problema acontecer. Tão importante quanto remediar é conseguir desenvolver uma consciência prévia para diminuir os riscos.

Então, a ISO 45001 em sua versão 2018 estimula a proatividade de todos os funcionários e envolvidos no que diz respeito a prevenção de acidentes, criando assim um ambiente muito mais seguro e confortável para todos.

Segurança do Trabalho x Segurança Ocupacional

Quando falamos o que é segurança do trabalho, pode surgir uma confusão instantânea com relação a outro termo muito comum: segurança ocupacional. Mas, esses são dois conceitos diferentes, e que possuem as suas particularidades.

Entende-se por Segurança no Trabalho a reunião de normas que pretendem proteger o trabalhador no exercício de sua função e no ambiente profissional como um todo. Ela é aplicada a partir da participação de um profissional técnico em segurança do trabalho.

É considerado acidente de trabalho aquele que ocorre durante o exercício de trabalho, seja dentro ou fora da empresa, desde que o profissional esteja prestando serviço nesse momento.

A definição desse conceito encontra-se no artigo 19 da lei nº 8.213/1991. O acidente de trabalho pode ser seguido de lesão corporal, psicológica, morte ou mesmo comprometer permanente ou temporariamente a capacidade de trabalho.

Essa área atua diretamente em parceria com a segurança ocupacional. Ela age através de ferramentas e procedimentos cujo principal propósito é eliminar ou reduzir os riscos de lesões.

Proteção dos trabalhadores

Proteção dos trabalhadores
A importância da NR 11 para o sistema de gestão de saúde e segurança no trabalho

Conhecida pela sigla de SSO – saúde e segurança ocupacional – está diretamente relacionada as metas e objetivos voltadas para a proteção dos funcionários, principalmente no que diz respeito a exposição contínua a fatores e agentes nocivos, tais como:

  • Ruídos, vibrações;
  • Vírus, fungos e bactérias;
  • Gases, vapores, ácidos e entre outros.

Essa reunião de estratégias e atitudes corroboram para o bem-estar de todos os profissionais, além de garantir que a empresa atue dentro das normas previstas em lei.

Participação dos trabalhadores para conscientização da Segurança no Trabalho

Nenhum emprego deve colocar em risco a vida ou a saúde – física ou mental – de seus funcionários.

Para isso, é essencial que os empregadores sigam com as normas impostas pela ISO 45001, e estimulem e encorajem a participação dos colaboradores nas mudanças que possam ser benéficas para todos.

É fundamental que os empresários e empregadores estimulem essa participação, e promovam a participação de todos os profissionais nos processos de desenvolvimento de métodos de segurança, monitoramento, e acompanhamento do emprego das normas.

Essa prática não deve ser desencorajada, e muito menos ser motivo de repreensão por parte das lideranças. Quando todos atuam em conjunto, as chances de que as coisas ocorram de maneira mais correta aumentam exponencialmente.

Principais causas de acidentes de trabalho e como evitá-las?

As principais causas de acidente de trabalho estão relacionadas a diversos fatores que precisam ser observados com atenção, para que assim sejam antecipadas as soluções, evitando problemas. Geralmente, os acidentes são causados por:

  • Falta de preparo técnico e treinamento;
  • Ausência do uso de EPIs – Equipamento de Proteção Individual;
  • Negligência na fiscalização;
  • Falta de manutenção nos maquinários;
  • Não cumprimento das leis trabalhistas e normas.

Ao identificar esses pontos, a empresa deve agir imediatamente para que as falhas sejam sanadas, de modo que os profissionais não tenham a sua vida e condição de saúde postas em risco.

CIPA – o que é e para que serve?

É justamente aqui que podemos citar o papel essencial da CIPA dentro de uma corporação. Através dessa comissão, é possível reunir funcionários para que atuem, em conjunto com a liderança, em prol do estímulo à segurança.

O que significa CIPA?

A sigla CIPA se refere a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes, cujas atividades estão respaldadas na norma regulamentadora nº 05, aprovada pela Portaria nº 3.214, de 08 de junho de 1978 e atualizada pela Portaria SIT n.º 247, de 12 de julho de 2011 do Ministério do Trabalho e Emprego – TEM.

A CIPA deve ser formada a partir de uma votação, contando com um representante da classe trabalhadora e um representante da gestão. Ela será instaurada e mantida dentro da empresa, exigindo reuniões regulares.

NR – Normas regulamentadoras

Destacamos que o não cumprimento das normas regulamentadoras referentes a Segurança do Trabalho poderá acarretar a aplicação de penalidades conforme cada caso. Por isso deve-se atentar a isso, criando estratégias e métodos para um ambiente saudável e seguro para todos.

Saber o que é segurança do trabalho é essencial para que o exercício da empresa aconteça dentro da lei, e de acordo com todas as regras que regem a atividade.


Quer saber mais? Entre em contato conosco!

Avaliação de Riscos na indústria química

Por que fazer avaliação de riscos na indústria química? Adotar estratégias de segurança para evitar e conter acidentes químicos é fundamental para empresas de pequeno, grande e médio porte.

O ambiente de trabalho deve ser seguro e confortável. Pensando nisso, é importante fazer avaliação de riscos na indústria química, e estar a par de todas as possibilidades e estratégias de segurança que podem – e devem! – ser adotadas!

A indústria química é uma das mais importantes para a evolução da humanidade. Se chegamos onde chegamos é por conta das muitas descobertas e estudos realizados justamente nesse setor, que atua diretamente em outras frentes, como indústria farmacêutica e médica, tecnologia, combustíveis e automóveis e etc.

Porém, com todos os avanços vieram também as negligências. Os riscos dentro de um ambiente que armazena e manuseia elementos químicos são diversos! É essencial manter essas tarefas sobre um controle assíduo.

Os processos cada vez mais complexos adotados pelas grandes indústrias traz consigo riscos também mais elevados para todos os trabalhadores, o meio ambiente, e a população em geral.

É justamente aqui que podemos citar a importância gigantesca da simbologia de produtos químicos e seus perigos, bem como a implantação de uma metodologia de avaliação de riscos que vise priorizar as ações preventivas.

Avaliação de riscos na indústria química: meio ambiente em pauta!

O grande volume de fabricação de produtos químicos, somado a exploração de matérias primas naturais podem representar um imenso risco ao meio ambiente. Com a devida aplicação das normas de prevenção e contenção é possível fabricar sem causar mal ao nosso maior bem: o planeta.

Para diminuir os riscos iminentes, foi criada a ISO 14001:2015, que deve ser adotada por empresas que pretendem aprimorar as estratégias voltadas para gestão ambiental.

Ela incorpora não somente uma ideia ecologicamente correta a ser adotada, mas também – e principalmente – foca em estratégias para um desenvolvimento empresarial que seja mais sustentável.

ISO 45001:2018

Em paralelo aos cuidados ambientais, os riscos da indústria química também precisam ser revistos analisando de perto as normas que se enquadram à ISO 45001:2018, a respeito da segurança no trabalho.

Nesse caso, podemos facilmente citar a comunicação visual como algo primordial. A simbologia de produtos químicos e seus perigos é uma das ferramentas universais para manter todos os cidadãos – inclusive os analfabetos! – a respeito dos perigos e cuidados.

ISO 9001:2015

Outra certificação importantíssima, e que pode ser útil para quem quer saber mais sobre a avaliação de riscos na indústria química é o ISO 9001:2015, certificação internacional que atesta a qualidade de empresas de acordo com suas tarefas.

Essa é uma norma importantíssima, que se refere a gestão de qualidade! Para empresas que atuam com produtos químicos – que demandam atenção extra! – é essencial conhecer e obter a certificação para ter ainda mais reconhecimento e respeito no mercado.

Qual é a importância de rotular os produtos químicos?

Como dissemos anteriormente, o manuseio de produtos químicos demanda muito cuidado, e por isso é uma tarefa que vem respaldada por uma série de normas. Tudo isso parece burocrático, mas se trata, na verdade, de métodos de segurança para a vida humana e o meio ambiente!

Os símbolos de risco químico são utilizados para comunicar a existência de substâncias tóxicas ou inflamáveis, e também para produtos químicos em geral. A comunicação deve ser clara, e trazer símbolos mundialmente conhecidos como “perigo”.

Maiores acidentes ocorridos na história da indústria química

A legislação brasileira entende que há uma necessidade ferrenha de acompanhar e monitorar o manuseio de tais produtos, bem como compreende a importância da utilização de símbolo de explosivo, símbolo de tóxico e símbolo explosivos para comunicação.

CONASQ – Comissão Nacional de Segurança Química:

Para demonstrar a sua preocupação com relação aos manuseios e a avaliação de riscos na indústria química, foi instaurada a Conasq, através da conforme a Portaria nº 352, de 8 de setembro de 2003. O Regimento Interno foi aprovado em 2001.

São mais de 20 instituições públicas e privadas reunidas para manter um mecanismo de monitoramento da gestão adequada de substâncias perigosas, evitando assim grandes acidentes. Podemos citar a ANVISA e o IBAMA como dois dos grandes nomes participantes.

A humanidade infelizmente reúne algumas histórias dramáticas relacionadas às falhas de pessoas durante o manuseio/ armazenamento de produtos químicos.

Bophal, Índia – 1984

A Índia protagonizou um dos acidentes mais dramáticos envolvendo produtos químicos. Toneladas do gás Metil Isocianato foram liberados no ar de Bophal, levando mais de 7 mil pessoas à morte, e muitas outras ao desenvolvimento de doenças graves.

Seveso, Itália – 1976

A falha humana fez milhares de vítimas e matou mais de 50 mil animais na Itália após o vazamento de veneno após explosão na fábrica da Hoffman-La Roche. Alguns dos sintomas imediatamente sentidos pelas vítimas foram dor de cabeça, tosse, diarreia e lesões na pele.

Esses são apenas dois casos. Existem inúmeras histórias aterrorizantes que são ligadas diretamente às negligências do uso de produtos de químico por grandes empresas!

Ferramentas de controle – como manter a segurança de sua empresa?

Hoje em dia é possível se valer de algumas ferramentas para controle e gerenciamento de riscos de processos na indústria química. A Verde Ghaia oferece a solução SOGI – Sistema Online de Gestão Integrada, que traz consigo o módulo GRC (governança, risco e compliance).

A ideia é auxiliar para que as organizações consigam antecipar os riscos de suas operações, e com isso traçar planos de prevenção e resolução dos problemas. É importante ressaltar que a consultoria da Verde Ghaia também realiza um mapeamento para identificar quaisquer problemas, e sugerir prevenções.

Essas são estratégias que vão muito além da utilização de símbolos de risco químico. Se trata de um verdadeiro montante de estratégias que, reunidas, conseguem atribuir muito mais segurança e eficácia para o manuseio de produtos químicos.

Realizar essa avaliação de riscos na indústria química é essencial não somente para que a sua empresa atue dentro das leis que regulamentam a atividade. Também para assegurar que tanto as pessoas quanto o meio ambiente estejam protegidos.

Afinal, como bem sabemos, ao exemplo de desastres como o Mariana (MG), ocorrido em 2015, acidentes envolvendo elementos químicos também devastam a vida natural e a terra ao seu redor, causando perdas muitas vezes irreparáveis.

Por isso, a avaliação de riscos na indústria química não deve ser negligenciada sob nenhuma hipótese. Utilizar ferramentas de gestão, e contar com uma consultoria especializada são passos importantes para manter a segurança do planeta.


Fale com a Verde Ghaiae saiba mais sobre Avaliação de Risco.

Monitore todas as Leis e Requisitos Legais Aplicáveis à sua organização

O monitoramento de requisitos legais nada mais é do que acompanhar se uma organização está em dia com a legislação que rege seu negócio. Só que embora, a princípio, soe apenas como uma medida para evitar sofrer penalidades civis, administrativas ou criminais em função do não cumprimento das leis, é muito mais do que isso.

Por que devemos monitorar nossas leis e requisitos?

Por que devemos monitorar nossas leis e requisitos?

O monitoramento de requisitos legais denota que a empresa nutre preocupações para com o bem estar da sociedade em geral, que está buscando ser transparente, honesta, e que também se preocupa com a segurança e saúde do trabalhador e com o meio ambiente.

Embora a legislação frequentemente seja vista como uma burocracia, devemos nos lembrar de que muitas leis existem exatamente para garantir um ambiente seguro aos trabalhadores e para preservar o ecossistema, sendo assim, estar em conformidade legal significa manter a ética empresarial, melhorar processos, contribuir para um mundo melhor de alguma forma.

Monitorar Leis: não é custo, é investimento!

Monitorar Leis: não é custo, é investimento!

Embora pareça um grande gasto — e muitas vezes, ele seja visto como “desnecessário” —, na verdade o gerenciamento de requisitos legais é um verdadeiro investimento para  organização. Primeiro porque toda empresa que segue as leis corretamente evita ser penalizada com multas vultosas. Além disso, há os ganhos indiretos perante o Estado e a sociedade, pois a organização que cumpre a legislação integralmente, sempre será vista como uma organização confiável, digna de subsídios e investimentos.

Empresas que monitoram seus requisitos legais também reduzem despesas com seguros e obtêm mais vantagens caso necessitem de empréstimos bancários, pois sempre podem provar que estão trabalhando para mitigar seus riscos.

E a empresa não somente fica juridicamente estável, como também passa a conhecer melhor seus riscos, podendo assim mitigar incidentes e até mesmo cavar oportunidades no mercado.

Vamos a um exemplo prático: em janeiro de 2019, a Secretaria de Meio Ambiente de Santos multou uma loja local em R$ 5 mil por esta não possuir sistema de Logística Reversa para celulares e acessórios. Esse tipo de sistema é uma determinação do programa “Recicla Santos”, que determina que os pequenos e grandes geradores comerciais devem disponibilizar coletores específicos para o recebimento de resíduos especiais e, em conjunto com os fabricantes, importadoras e distribuidoras, estruturar e implementar sistemas de logística reversa de forma independente do serviço público de limpeza urbana e de manejo dos resíduos sólidos.

Se a loja estivesse monitorando seus requisitos legais, teria tomado conhecimento sobre o Programa Socioambiental de Coleta Seletiva Solidária Recicla Santos (Lei 952/2016), que entrou em vigor em setembro de 2017. Inclusive, a loja poderia ter usado a campanha de coleta com pano de fundo para uma promoção com benefícios revertidos aos clientes (“Traga sua bateria de celular para reciclagem e ganhe 10% de desconto na compra de um novo aparelho”), podendo assim aumentar suas vendas e promover sua imagem como uma empresa ecologicamente responsável. !

Como realizar um monitoramento de requisitos legais eficiente?

É praticamente impossível realizar o monitoramento de requisitos legais sem um sistema de controle rígido. Não só porque a identificação de Requisitos Aplicáveis ao seu negócio exige conhecimentos especializados (pois as leis são suscetíveis a diferentes interpretações), como também devido à existência de uma quantidade considerável de leis no Brasil. Imagine como seria acompanhar os diários oficiais — em âmbito federal, estadual e municipal — diariamente? E ainda por cima interpretar tudo com exatidão, sem deixar a empresa vulnerável a brechas legais?

Além do mais, cada segmento de uma empresa vai exigir uma atenção específica quanto à legislação:  suas operações, seu escopo, sua localização, sua produção, sua geração de resíduos, suas emissões, seus insumos, seus maquinários, seus produtos; isso sem contar a parte de recursos humanos.

Para garantir a qualidade desse monitoramento o ideal é contratar um banco de dados de legislação capaz de reunir todos os requisitos legais pertinentes à sua empresa, bem como o auxílio de uma consultoria especializada, que seja capaz de não apenas monitorar as leis, mas de tirar dúvidas e oferecer assistência integral.

O SOGI – Sistema On-line de Gestão Integrado — da Verde Ghaia é um sistema para o gerenciamento de requisitos legais que monitora tantos os sistemas de Meio Ambiente, Segurança e Saúde do trabalhador, quanto os requisitos pertinentes a Responsabilidade Social, Eficiência energética e Segurança de alimentos.

Além disso, a Verde Ghaia também conta com uma equipe de profissionais habilitados que realizam o acompanhamento diário da legislação aplicável, interpretando o texto de acordo com as principais obrigações legais a serem atendidas.

Por que atender à legislação do seu negócio?

Atender às legislações aplicáveis ao seu negócio propicia uma atuação mais sólida no mercado, diminuindo não apenas os riscos perante fiscalizações inesperadas ou denúncias de partes interessadas, como também proporciona uma melhoria contínua — afinal uma empresa que segue a lei naturalmente se encontra em conformidade, o que por si só já indica que seus processos são organizados e bem planejados.

Atender a todos os requisitos legais também auxilia na obtenção da certificação de diversas ISOs importantes, tais como a ISO 14001 (que visa um desempenho ambiental correto), a ISO 45001 (Sistema de Gestão de Saúde e Segurança Ocupacional) e a ISO 9001 (Gestão de Qualidade para produtos e serviços). Não é possível conquistar nenhum tipo de certificação se a empresa não estiver em conformidade legal.

Fale conosco!

Se o Risco é intrínseco, por que há empresas que não se preocupam?

Módulo GRC: controle suas leis e reduza os riscos do seu negócio.

O gerenciamento de riscos numa organização consiste na identificação, planejamento, administração e controle de seus recursos, que tanto podem ser tanto materiais quanto processuais e humanos.

O objetivo do gerenciamento de riscos é minimizar ao máximo os riscos negativos — aqueles que podem trazer prejuízos — e tirar proveito dos riscos positivos — as chamadas oportunidades.

Breve perspectiva sobre a Gestão de Riscos

De maneira geral, a gestão de riscos precisa proteger a empresa das oscilações do mercado — as quais podem incluir fatores de natureza política do país, instabilidade econômica, eventos sociais e tecnológicos — e também auxiliar o gestor nas tomadas de decisão.

Quando Steve Jobs revelou o iPad, em 2010, muitos julgaram o lançamento uma aposta de altíssimo risco — afinal outras empresas já tinham tentado lançar produtos com a mesma dinâmica, e falharam. Hoje sabemos que o iPad é extremamente popular. Mas, é claro que Jobs não lançou seu produto a esmo, acreditando apenas em sorte ou intuição. Certamente houve um bom gerenciamento de riscos, abrangendo todos os conceitos que diziam respeito ao iPad — desde sua concepção até o monitoramento de sua recepção no mercado.

Mas obviamente este caso é só um exemplo muito pequeno dentro de um panorama imenso. O gerenciamento de riscos é muito, muito maior do que a mera escolha do momento certo para lançar uma inovação tecnológica, como neste exemplo da Apple.

Há Riscos em qualquer lugar

Uma boa gestão de riscos deve englobar questões trabalhistas, ambientais, sanitárias, concorrenciais e até mesmo de crimes financeiros. Decisões erradas podem fazer uma empresa ser penalizada com multas, prejuízos, acidentes com pessoal e até perda de reputação perante fornecedores e clientes.

Por aí, já percebemos que o gerenciamento de risco pode ser um processo um tanto árduo e complicado de se montar, não é mesmo? Porque, além de tudo, ainda envolve o mapeamento de eventos que ainda estão por acontecer (e que talvez nem mesmo venham a ocorrer, mas que nem por isso devem ser ignorados).

A gestão de riscos também envolve uma análise profunda dos processos internos de sua empresa. Quando você conhece os desafios a serem enfrentados e aplica as estratégias certas para lidar com os riscos, a liderança é exercida sob menos surpresas e o gestor se torna capaz de realizar planejamentos mais eficientes, descartando burocracias desnecessárias, impulsionando resultados e melhorando o relacionamento entre todas as partes interessadas.

Sendo assim, para dar conta de uma análise tão complexa, o ideal é recorrer a uma ferramenta que possa auxiliar a organização ao máximo, e que ofereça resultados realmente sólidos e confiáveis.

Módulo GRC: análise de processos internos

Para o gerenciamento de riscos, a Verde Ghaia possui o Módulo GRC (Governança, Risco e Compliance), módulo do sistema SOGI desenvolvido com base na ISO 31000, norma responsável por fornecer padrões para a implementação de um sistema de gerenciamento de riscos em qualquer tipo de organização.

Ao adotar o Módulo GRC, a empresa já se torna forte candidata a conquistar o selo ISO 31000, pois estará seguindo os melhores padrões para gerenciamento de riscos, incluindo requisitos legais reconhecidos internacionalmente.

O Módulo GRC possui funcionalidades muito específicas, que aprimoram totalmente o sistema de gerenciamento de riscos, organizando todas as suas fases.

Conheça algumas funcionalidades

  • O módulo GRC aponta se os riscos e oportunidades da empresa são significativos, e permite a criação de ações preventivas, corretivas e emergenciais personalizadas para cada risco identificado.
  • Cada ação terá um campo na interface onde será registrado o nome do responsável por ela, bem como o prazo dentro do qual deverá ser cumprida.
  • O sistema gera relatórios e gráficos gerenciais, classificando a origem e a severidade de todos os riscos e das oportunidades, e também aponta a probabilidade de ocorrência de cada um deles. Isso facilita a visualização dos dados e oferece respostas prontas para diversos questionamentos que o gestor possa vir a ter. A avaliação é realizada através de métodos quantitativos personalizados (como FMEA e Matriz de Risco).
  • Os usuários podem receber notificações sobre todos os prazos e ações, as quais serão enviadas por e-mail e também ficarão disponíveis no painel de pendências do sistema. Os avisos também abrangem prazos legais, evitando assim que a empresa tenha problemas pelo não atendimento à legislação.

Como Módulo GRC, a empresa vai conseguir identificar seus riscos, priorizá-los, determinar tudo o que é mais relevante para seu negócio e ainda identificar as melhores áreas para investimento de seu orçamento.

Risco é intrínseco, faça Gestão de Riscos!

É fundamental que os gestores compreendam que o risco é intrínseco a qualquer atividade, independentemente de seu ramo ou tamanho, por isso o gerenciamento de riscos é essencial em toda organização. Sempre que uma empresa monitora seus riscos, ela cria um cenário mais favorável para si, pois consegue prever boa parte dos problemas e também identificar os melhores momentos para investir ou alavancar seus negócios.

A gestão de risco, quando bem executada, agrega valor ao negócio, facilita a tomada de decisões em todos os níveis hierárquicos, valoriza o capital humano e intelectual dos colaboradores e permite um processo de melhoria contínua em todos os processos da organização.


Verde Ghaia: mais que serviços e produtos, nós oferecemos Sucesso ao Cliente!

A Verde Ghaia atua no mercado de gestão empresarial e serviços de monitoramento da conformidade legal há 20 anos. Temos em nosso DNA a vocação para qualidade, segurança e saúde, meio ambiente e responsabilidade social. Tudo isso, aliado a metodologias próprias e com foco em tecnologia, como o SOGI, sistema online de gestão integrada.

Serviços e produtos, oferecemos Sucesso do Cliente!

Somos proprietários de nossas metodologias e softwares. Isso nos garante mais segurança, velocidade no desenvolvimento e principalmente, segurança de informação. Não terceirizamos aquilo que é essencial para nosso negócio, porque acreditamos na importância do tema Compliance para sua gestão.

Hoje o SOGI ajuda mais de 2.500 empresas, de vários setores, ramos e tamanhos, a monitorar e controlar seus requisitos legais. E a cada ano, investimos pesado em melhorias tecnológicas, para que os nossos clientes possam agilizar seus processos sem perder a qualidade.

Com o passar dos anos e com a nossa experiência, conseguimos ajudar os nossos clientes a identificar seus requisitos legais aplicáveis e, além disso, apresentar quais são os requisitos mais complexos e quais são os mais simples, bem como, oferecer soluções para fatores limitantes que possam ocasionar futuros problemas para os nossos clientes. Por exemplo, no ramo alimentício, atendemos a clientes de vários tamanhos, esse ramo precisa atender a uma infinidade de requisitos, dos quais há ainda aqueles que são mais complexos e que precisam ser monitorados e gerenciados com mais cautela e cuidado.

Equipe Multidisciplinar e altamente qualificada

Serviços e produtos, oferecemos Sucesso do Cliente!

Para casos, nos quais o cliente possua dúvidas, questionamentos, há uma equipe, totalmente, multidisciplinar e altamente qualificada, composta por advogados especialistas em Compliance e risco, Engenheiros de software, engenheiros ambientais, Engenheiros de saúde e segurança, de alimentos, todos especialistas possuem mais de 15 anos de experiência em monitoramento de requisitos legais, auditorias de conformidade legal e auditorias em sistemas de gestão. Prezamos pela diversidade na equipe como forma de alcançar os mais diversos ramos de atividade.

Nossa proposta contempla validação de evidências de atendimento aos requisitos legais, consultoria jurídica ilimitada com prazo de retorno de 24 horas através de uma Plataforma de Consultoria Online exclusiva que permite visualização de todos os históricos de consulta pelos usuários.

O que a Verde Ghaia já entregou?

+ 4.000 AUDITORIAS EM CONFORMIDADE LEGAL

+ 1.600 AUDITORIAS DE SISTEMA DE GESTÃO

+ 26.800 CONSULTORIAS

+ 1.800 CERTIFICAÇÕES ISO

+ 3.200 MONITORAMENTO DE REQUISITOS LEGAIS

+ 40 SERVIÇOS DE OUTSOURCING

+ 80 DUE DILIGENCE

+ 900 CONSULTAS JURÍDICA POR MÊS

Sistema SOGI: gestão compartilhada, integrada e otimizada

Serviços e produtos, oferecemos Sucesso do Cliente!

O nosso sistema SOGI não limita quantidade de usuários e/ou de perfis para acessos. Além disso, todos os acessos são personalizáveis, gerando segurança aos administradores da conta, de modo que não haja alterações, mudanças ou mesmo arquivos apagados.

O SOGI ainda oferecer recursos para gerar relatórios e indicadores diferenciados, permitindo uma gestão compartilhada, tendo ainda a capacidade de integrar, gerando a otimização de tempo e recurso.

Outros diferenciais que valem a pena conferir

1. Única empresa de serviços que possui plataformas integradas de consultoria em sistemas de gestão e requisitos legais;

2. Número de consultores próprios adequados para atender todas as demandas de nossos clientes;

3.Consultores em nível sênior e com formação adequada aos serviços prestados, incluindo formação de auditores líderes nas normas trabalhadas;

4. Alto nível de conhecimento em mais de 350 ramos de atividade econômica;

5. Único programa que permite a Correlação automática com aspectos e impactos e legislação. Reduzindo assim custos de consultoria;

6. Única empresa com plataforma de gerenciamento de resíduos e consultora online para reduzir custos e tempo nas consultorias;

7. Única empresa de serviços de consultoria certificada em meio ambiente, qualidade e saúde e segurança. 

8. Única empresa com escritório local em SP e Franquias próprias capaz de reduzir os custos de consultora e logística. 

9. Única empresa com programa de gestão de riscos, Compliance, gestão de licenças e módulo corporativo. 

10. Única empresa com metodologia proprietária para PRSSO E GAIA incorporada ao sistema.

11. Única empresa com programa de controle a TNC já incorporada ao contrato de requisitos legais. 

12. Única empresa com módulo de auditoria de conformidade legal já incluída no sistema. 

Além dos diferenciais apontados acima, a Verde Ghaia possui reputação no mercado, sua imagem é conhecida pela excelência em serviços de gestão e pelo seu papel social com a comunidade. *O presidente e Fundador do Grupo Verde Ghaia é considerado atualmente um dos 150 melhores CEOs do Brasil.

Fonte: * Fórum CEO BRASIL; O mesmo é referência no Brasil em Técnicas de Gestão e Empreendedorismo.

  • CEO Deivison Pedroza possui mais de 150 mil seguidores em seu Canal do Youtube, seus vídeos já alcançaram a marca de 70 milhões de acessos.
  • A Verde Ghaia foi eleita em 2018 como uma das 75 empresas mais sustentáveis do Brasil, conforme avaliação da Revista Exame Nacional;
  • A Verde Ghaia durante 3 anos consecutivos no ranking das PME’s que mais crescem no Brasil conforme Ranking da Revista Exame e Delloit;
  • A Verde Ghaia é recordista em consultorias em Gestão Ambiental. Foram mais de 900 consultorias somente para ISO 14001;
  • Temos mais de 2500 clientes, 30 mil usuários de nossas metodologias e um banco de dados próprio com mais de 100 mil requisitos;
  • Cobrimos todo o território Brasileiro e mais 06 países;
  • A Verde Ghaia está presente em vários países, participando de eventos de tecnologia, sustentabilidade, inovação.

A Verde Ghaia está no mercado há 20 anos, porque ela acredita que deve fazer o seu melhor, pois somente assim, poderá oferecer aos seus clientes serviços e produtos com qualidade. O objetivo é fazer nosso cliente alcançar o sucesso que tanto deseja.

A Verde Ghaia não presta serviço, a Verde Ghaia oferece serviços de qualidade, transparência e ética!

Como implementar o Módulo PRSSO para avaliação de riscos e oportunidades?

Nenhum indivíduo é capaz de levar uma vida tranquila e plena se não gozar de boa saúde, e esta máxima vale principalmente para o ambiente de trabalho, local onde a maioria de nós passamos parte considerável do nosso dia.

Por isso, é essencial que toda empresa adote um sistema de gestão da saúde e segurança ocupacional, não apenas para cumprir a legislação vigente, mas também para proporcionar o melhor ambiente a seus colaboradores. Lembrando também que a segurança e a proteção à saúde do trabalhador são direitos fundamentais previstos em nossa Constituição.

Veja como implementar um sistema de gestão para identificação de Perigos e Riscos à Saúde e Segurança Ocupacional (PRSSO).

Crie uma Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA)

Pela lei, a CIPA se faz necessária em empresas que tenham mais de 20 funcionários ou que exerçam atividades perigosas. Em todo caso, é sempre interessante contar com a ajuda dessa comissão, que estará atenta quanto à segurança e saúde de todos os colaboradores e poderá auxiliar na realização de eventos pontuais para informar sobre a importância da prevenção de acidentes e cuidados com a saúde.

Em caso de dúvidas sobre como implementar o modelo, busque a NR5, norma responsável por reger a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes ou faça um curso online através da plataforma EAD da Verde Ghaia.

Envolva todos os funcionários

um bom sistema de gestão da SSO só funciona se houver envolvimento de 100% dos trabalhadores da organização. A prevenção de acidentes é uma responsabilidade de todos.

O excesso de confiança, a negligência, a imprudência e a imperícia estão entre as maiores causas de acidentes no trabalho. Quer um exemplo? Quando passar diante de algum canteiro de obras na sua cidade, experimente observar os operários que ali estão trabalhando.

Todos usam EPI? Aqueles que estão no alto da obra estão presos por cintos ou cordas? Uma breve busca no Google nos mostra que quedas de trabalhadores de grandes altitudes não são nada incomuns. E muitas vezes os acidentes ocorrem devido ao excesso de confiança, porque muitos operários simplesmente confiam que jamais vão cair.

Forneça condições adequadas

não basta conscientizar suas equipes se a empresa não fornecer condições adequadas para o cumprimento de todas as normas de segurança. Sempre forneça EPIs e EPCs em estado adequado, e tome algumas medidas rotineiras, como a análise das condições físicas dos ambientes laborais, estudos de ergonomia, a identificação e mitigação de perigos e riscos etc.

Atenção à legislação vigente

Quanto mais NRs o sistema de gestão de SSO atender, mais completo ele será. E os prazos legais devem ser cumpridos à risca, até mesmo para evitar multas e custos desnecessários.

Módulo PRSSO do SoGI

O Módulo PRSSO (Perigos e Riscos da Saúde e Segurança Ocupacional) do SoGI foi desenvolvido pela Verde Ghaia para auxiliar na identificação, avaliação e monitoramento de quaisquer perigos e riscos de acidentes, incidentes e doenças ocupacionais,  sejam eles físicos, psíquicos ou emocionais — e sempre levando em conta o contexto de cada organização.

É um sistema que permite o registro e a avaliação da matriz de perigos e riscos, identificando os principais riscos e avaliando a significância dos perigos e de seus controles operacionais, e a partir daí criando e gerenciando planos de ação voltados para cumprir todas as exigências práticas e legais para assegurar a saúde de seus colaboradores.

Conheça alguns diferenciais do Módulo PRSSO

  • Identificação dos riscos e oportunidades dos perigos e riscos da segurança no trabalho (relacionados a cada atividade), bem como a probabilidade, severidade e frequência de cada um;
  • Avaliação automática, plano de controle de revisões, planos de ação integrados à legislação aplicável à empresa;
  • Avaliação da perspectiva do ciclo de vida dos seus perigos;
  • Interface para visualização de melhorias tais como aumento de produtividade, alterações de processos, produto ou serviços, uso eficiente de EPIs, comunicação interna, programas de conscientização e mais;
  • Separação do maior número possível de riscos gerados (reais e potenciais; benéficos e adversos) decorrentes de cada perigo identificado, e sempre levando em conta se são significativos;
  • Geração automática de relatórios e gráficos gerenciais;
  • Envio automático de e-mails com o status dos planos de ação;
  • Visualização dos requisitos legais para cada perigo identificado, com acesso às evidências e ações de cada caso;

Conclusão

Quando colaboradores gozam de boa saúde e se sentem seguros em seu ambiente laboral, eles certamente trabalham mais felizes (e produzem mais). Além disso, uma empresa atenta à SSO sempre estará em conformidade e apresentará condições mais favoráveis para conquistar os selos ISO referentes à segurança e à saúde ocupacional.

Enfim, um bom sistema de gestão de SSO só traz benefícios para e organização, gerando redução de custos, retenção de talentos e valorizando um bem importantíssimo que é o capital humano. Não se esqueça: funcionários saudáveis, empresa saudável.


Agende seu horário com um dos nossos consultores e conheça as funcionalidades do Módulo PRSSO na prática.

agendar horário com um consultor da Verde Ghaia para conhecer as funcionalidades do SOGI na prática

Sistema de Gerenciamento da Segurança Operacional de Aeródromos

O Sistema de Gerenciamento da Segurança Operacional (SGSO) em aeródromos se caracteriza por um conjunto de ferramentas gerenciais e métodos organizados de forma sistêmica para apoiar as decisões a serem tomadas por um provedor de serviço da aviação civil em relação ao risco de suas atividades diárias.

O SGSO já está consolidado como um padrão no ramo da aviação mundial, se estendendo inclusive à gestão da segurança para além do ambiente da aviação. É um sistema que adota padrões complexos em suas atividades cotidianas e que requer alto nível de controle de qualidade, alocação de tempo e de recursos, bem como o envolvimento da alta direção de um aeródromo.

Política de Segurança Operacional

O estabelecimento de uma política de segurança operacional com objetivos estratégicos deve definir uma estrutura organizacional com designação dos responsáveis pela segurança operacional em suas atividades.

É imprescindível a criação de metas e indicadores de desempenho para melhoria do nível de segurança operacional no aeródromo, com a identificação dos perigos e gerenciamento dos riscos à segurança operacional.

O Regulamento Brasileiro da Aviação Civil (RBAC) nº 153, aprovado através da publicação da Resolução ANAC nº 382 de 2016, prevê alguns dos principais objetivos do SGSO:

  • garantir a aplicação das ações corretivas necessárias a manter um nível aceitável de desempenho da segurança operacional;
  • prever a supervisão permanente e a avaliação periódica do nível de segurança operacional alcançado, com vistas a melhorar continuamente o nível de segurança operacional no aeródromo;
  • garantir coordenação entre suas atividades e aquelas estabelecidas para o Sistema de Resposta à Emergência Aeroportuária;
  • promover o treinamento e a divulgação do SGSO no âmbito de suas responsabilidades, para assegurar que os recursos humanos necessários estejam aptos a realizar suas atividades;
  • conter documentações e registros dos processos voltados para a segurança operacional, incluindo mecanismos para o seu controle e atualização.

Estruturação do Sistema de Gestão em Segurança Operacional

Para estruturação do SGSO, o operador de aeródromo deve considerar política e objetivos de segurança operacional, gerenciamento dos riscos à segurança operacional, garantia da segurança operacional e promoção da segurança operacional.

A implantação do SGSO, ainda, deve servir de apoio ao cumprimento dos demais requisitos legais, e normativos como Regulamento Brasileiro da Aviação Civil (RBAC), Instruções Suplementares (IS), Decreto, Portaria.

Sistema de Gerenciamento da Segurança Operacional

Importante salientar, que o Sistema de Gerenciamento da Segurança Operacional (SGSO) difere do Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) essencialmente nos aspectos humano e organizacional, com foco na satisfação da segurança operacional, já o SGQ se concentra no serviço da organização, com foco na satisfação do cliente ou usuário final.

Portanto, o  componente “Garantia da Segurança Operacional” de um SGSO deve ser baseado em princípios de qualidade, provendo uma abordagem estruturada para fazer com que os processos e procedimentos de identificação de perigos e controle/mitigação dos riscos funcionem da forma prevista e, quando não se mostrarem eficazes, sejam revisados e melhorados

Vale lembrar que  a Gestão da Segurança Operacional e a da Qualidade são complementares e podem trabalhar em conjunto para alcançar as metas de segurança operacional.

Rodolpho Cavanelas – Dept. Jurídico Verde Ghaia


Blog SOGI