Como implementar ISO 37001 - Compliance Anticorrupção e Antissuborno
×

Passo a passo para certificação na Norma ISO 37001

Também conhecida como norma anticorrupção ou antissuborno, a ISO 37001 é uma norma internacional que fornece os requisitos e a devida orientação para estabelecer, implementar, manter e aperfeiçoar um sistema de gestão anticorrupção.

Como manter e aperfeiçoar um sistema de gestão anticorrupção?

Seu principal objetivo é combater atos ilícitos por meio da divulgação de uma cultura de integridade, transparência e conformidade junto às leis e regulamentações aplicáveis.

A norma ISO 37001 institui o combate ao suborno praticado tanto contra uma organização e seus funcionários, como em favor destes. Também é aplicada para combater os subornos praticados e recebidos por terceiros, ligados direta ou indiretamente à organização. Ela pode ser instituída em qualquer organização e, atualmente, diante de tantos escândalos empresariais pipocando no cenário brasileiro, funciona como um diferencial.

Embora sua simples existência não tenha como garantir a erradicação do suborno, ela representa um belo apoio na implementação de medidas eficazes para preveni-lo e reduzi-lo ao máximo. Ao implementar a ISO 37001, a organização demonstra sua preocupação em respeitar a legislação e seu compromisso no combate à corrupção. E do ponto de vista empresarial, agir de acordo com a lei é uma questão de sobrevivência.

A ISO 37001 na prática

A norma ISO 37001 substitui a BS10500 (que também se trata de um Sistema de gestão Antissuborno), com a diferença de que a ISO 37001 adota a mesma estrutura das Normas de Sistemas de Gestão da ISO, fazendo assim com que ela se torne compatível aos vários Sistemas de Gestão ISO, o que facilita sua implantação pelas organizações.

Como implementar ISO 37001

para estar em compliance é preciso trabalhar a conformidade de forma multilateral e aliar conhecimento normativo aos processos de gestão.

Se a corrupção já aconteceu. Em geral, muitas organizações só procuram adotar um sistema anticorrupção depois que o problema já foi constatado. Se a empresa já identificou processos de corrupção em seu ambiente, mas deseja realmente mudar, é recomendável então realizar uma reestruturação completa, a qual inclui até mesmo vender ativos para quitar dívidas.

Se necessário, deve-se realizar a renovação total do quadro de gestores e, em casos muito graves, modificar o nome fantasia, fazendo o possível para deixar claro para o mercado que houve renovação e que a intenção é ser o mais transparente possível. Todo e qualquer suspeito de envolvimento em desvio de conduta deve ser imediatamente afastado do comando; se necessário, aumente o quadro de conselheiros independentes na banca administrativa.

A prática é tão importante quanto a teoria. Embora muitas empresas possuam seus códigos internos de ética — e algumas até mesmo já tenham adotado programas de compliance estruturados —, é preciso ficar bem claro que as medidas anticorrupção não podem ser apenas uma determinação “de papel”. As regras precisam ser instituídas e cumpridas fielmente.

Canal de denúncias. Institua um canal de denúncias anônimas, preferencialmente terceirizado para garantir a transparência. Mas o canal não pode ser apenas um “enfeite”. Se houver uma denúncia real de corrupção, esta deve ser devidamente investigada. E sendo constatada, os responsáveis pela corrupção devem ser punidos.

Departamento de compliance. Se necessário, crie um departamento específico para gerir questões de compliance. Ele deve ter status de diretoria a fim de impor respeito e demonstrar que o exemplo vem de cima. Não adianta a empresa divulgar seu canal de denúncias, por exemplo, se sua alta cúpula realizar pagamentos de propinas às escondidas para disputar uma licitação.

Revisão de processos. A empresa deve revisar todas as suas normas e procedimentos internos. Às vezes o simples recebimento de brindes de fornecedores pode estar causando pequenos atos de corrupção no dia a dia. Falando nisso, deve-se também reavaliar a lista de fornecedores, mantendo-se apenas aqueles comprovadamente idôneos.

Envolvimento de todos. Todos os colaboradores devem ter ciência sobre a importância da transparência e idoneidade em seu trabalho. A empresa pode desenvolver um programa de prevenção à corrupção e incluir todos os departamentos. Não tenha medo de ser básico nos ensinamentos.

Auditorias. Empresas que não têm nada a esconder, não temem auditorias. Realize auditorias anuais, principalmente no que diz respeito a questões financeiras. Lembrando que nenhuma empresa conquista o selo ISO se não for aprovada em auditoria externa.

Um caso sobre Compliance

A Papermate, empresa norte-americana fabricante de canetas, já constatou em pesquisa anônima que 100% dos entrevistados admitiram já ter surrupiado uma caneta do trabalho.

Estima-se que os prejuízos econômicos causados por esses “pequenos furtos” estejam avaliados em centenas de bilhões de dólares anualmente — impactando numa redução de até 35% do inventário de uma empresa anualmente (ou uma média de 1,4% de suas receitas totais).

A imagem é o bem mais caro de uma empresa. Uma vez que sua reputação se flagrar manchada por possíveis esquemas de corrupção, haverá grande desconfiança por parte do mercado, fato que afeta diretamente na rentabilidade de uma organização. As companhias envolvidas em escândalos, também apresentam mais dificuldade para levantar recursos: quanto pior a nota na classificação de risco de uma companhia, mais altos serão os juros do crédito, concedido a ela.

Benefícios da ISO 37001

A certificação ISO 37001 ajudará a sua organização a implementar ou melhorar controles de combate ao suborno, reduzindo ou até extinguindo a ocorrência deles. Além disso, demonstrará publicamente que trabalha com as melhores práticas da indústria, ganhando vantagem ante a concorrência.

Além disso, em caso de investigação criminal, a certificação ISO 37001 servirá como garantia de que sua organização tomou medidas para prevenir a corrupção, o que pode garantir proteção do Ministério Público por constatação da prática da boa fé.

Tolerar a política de corrupção dentro de uma empresa é completamente perigoso para qualquer organização que queira conquistar o crescimento sustentável do seu negócio.  E importantíssimo: sem um firme combate à corrupção, não há como aplicar nenhuma das outras normas ISO.


PARA SABER MAIS SOBRE COMPLIANCE NA PRÁTICA, FAÇA SUA INSCRIÇÃO E PARTICIPE DO CURSO ONLINE, TOTALMENTE GRATUITO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *