Infraestrutura da qualidade e desenvolvimento econômico do negócio
×

Qualidade e desenvolvimento econômico do negócio

A Infraestrutura da qualidade é o sistema que garante que as expectativas de segurança, confiabilidade e compatibilidade de produtos e serviços sejam cumpridas. Este conceito foi apresentado pela primeira vez na publicação Fast Forward.

A Fast Forward é uma revista eletrônica preparada pela ISO (Organização Internacional para Padronização)  e pela UNIDO (Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial) com o objetivo de auxiliar os países em desenvolvimento e os países com economias em transição a otimizar o uso da infraestrutura nacional de padronização como uma alavanca para o desenvolvimento econômico, para a capacidade comercial e em apoio à proteção do consumidor, do meio-ambiente e da estrutura social.

Assim como as certificações internacionais, a infraestrutura da qualidade nasceu para ser um facilitador do comércio e do desenvolvimento econômico. Seus principais componentes são:

  • Metrologia: é a ciência que estuda a medição, e uma de suas finalidades é garantir a qualidade de produtos e serviços por meio de controle através de equipamentos de medição utilizados na indústria. É o que garante, por exemplo, que o pacote de arroz embalado por uma empresa conterá a quantia informada na embalagem.
  • Normalização: é a elaboração, difusão e implementação das Normas Regulamentadoras. Pode interferir tanto para a solução quanto para a prevenção de problemas numa organização. A normalização é um excelente incentivador da economia global, pois determina padrões internacionais de qualidade de produtos e serviços.
  • Avaliação da conformidade: é qualquer atividade com o objetivo de determinar (direta ou indiretamente) que um produto, processo, pessoa ou serviço atende aos requisitos técnicos especificados (entram neste conceito a norma técnica, o regulamento técnico ou outro documento de referência semelhante).

Perceba que os três itens acima são inter-relacionados: a avaliação da conformidade se baseia na normalização, que por sua vez depende do resultado da metrologia.

Infraestrutura da qualidade x desenvolvimento econômico

A infraestrutura da qualidade é diretamente proporcional ao desenvolvimento econômico. E as explicações são muito simples:

  • Quando produtos e serviços atendem às especificações requeridas, obviamente eles são mais bem-recebidos pelo mercado. E isso é algo que vemos no dia a dia. Quem não prefere um produto/serviço de qualidade, não é mesmo?
  • Situações que envolvem saúde, segurança e meio ambiente necessariamente vão exigir a avaliação de conformidade e até mesmo algumas certificações obrigatórias. Quanto mais requisitos cumpridos nestes quesitos, melhor para os consumidores, para a economia e para a sociedade.
  • Já parou para pensar que serviços de infraestrutura pública tais como fornecimento de energia elétrica, telecomunicações ou sistemas de transportes necessitam da infraestrutura da qualidade? No Brasil, por exemplo, não é incomum que uma cidade dependa de uma única empresa fornecedora de água ou gás. Se não houver algum tipo de controle, o consumidor sai perdendo. É por isso, por exemplo, que a Anatel impõe uma série de requisitos para permitir a concessão a empresas de telefonia.
  • A infraestrutura da qualidade é uma ferramenta de proteção ao consumidor final (ou seja, você) porque inibe o controle de práticas comerciais desleais. O resultado pode ser visto em todos aqueles testes em defesa do consumidor que vemos no cotidiano (qualidade dos azeites vendidos nos mercados, quantidade de água contida nos frangos congelados etc).

Qualidade e desenvolvimento do negócio

  • Por incrível que pareça, a  infraestrutura da qualidade também serve para demonstrar credibilidade em sistemas forenses e judiciais. Basta pensarmos que toda perícia criminal, por exemplo, segue uma série de padrões e referências que, se desrespeitados, podem modificar negativamente os rumos de uma investigação.
  • A infraestrutura da qualidade também garante a compatibilidade e a interoperabilidade dos componentes em produtos e sistemas. Trocando em miúdos, é o que te faz ser capaz de abrir a mesma foto no celular, no computador e na SmarTV, ou ler um arquivo do Word em vários sistemas operacionais. Mas não se engane: este conceito é muito mais amplo e pode afetar até mesmo nosso sistema de saúde.
  • Outra questão referente à IQ é o auxílio na quarentena de mercadorias e produtos nocivos que possam prejudicar uma economia. Se um viajante entra em território brasileiro com sementes de uma planta da Malásia, ele terá o material retido e analisado sob uma série de controles rígidos e padronizados. Isso evita, por exemplo, que uma possível praga antes inexistente no país se alastre e desequilibre nosso ecossistema.
  • E, lógico, sem dúvidas a aplicação da IQ é muito benéfica para o comércio internacional, pois reduz as barreiras técnicas ao demonstrar a conformidade junto às normas internacionais, regulamentos técnicos e especificações comerciais.

A maioria das sociedades reconhece plenamente os benefícios da infraestrutura da qualidade, e a criação de órgãos apropriados para apoiar esse sistema é uma prova disso (nós temos vários: o INMetro, a Proteste, a Agência Nacional do Petróleo, a Anatel etc).

Se não tivéssemos a infraestrutura da qualidade, toda a indústria e o comércio tal como conhecemos seriam praticamente inviáveis, visto que são exatamente esses padrões que determinam a qualidade de nossas relações de consumo, de nossa segurança alimentar/sanitária e a e sustentabilidade ambiental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *