Como fazer Gestão de Riscos do seu negócio e identificar as melhorias
×

Qual é a importância do gerenciamento de riscos?

A gestão de riscos nada mais é do que a identificação, planejamento, administração e controle de todos os recursos de uma empresa (sejam eles materiais, processuais ou humanos), e tem como objetivo auxiliar o processo de tomada de decisão dos gestores, amenizar os efeitos das incertezas e ainda ajudar a vislumbrar oportunidades que possam levar ao crescimento dos negócios.

Compreendendo o gerenciamento de seus riscos

Eis que chega em suas mãos um convite para acampar numa região erma e desconhecida. Bem… Sabendo das possíveis dificuldades do local, você certamente vai pensar em todos os problemas que possam acontecer lá, e por isso vai se preparar para cada um deles.

Então você vai preparar sua mochila. Em sua mochila haverá um fogareiro, estoque de água e comida, repelente contra insetos, pilhas extras para o walkie-talkie, um power bank para o celular (caso haja sinal), lanterna, canivete, curativos, medicamentos, roupas… Cada item a ser levado será baseado em sua suposição de possíveis percalços numa região desconhecida. Quanto mais preparado estiver, menos problemas você terá.

Ora. Tudo aquilo em sua mochila nada mais é do que uma representação de sua cautela, afinal você pode estar sujeito algum tipo de risco ou imprevisto estando numa região erma, não é? Sendo assim, nada mais lógico do que tentar prever tudo o que será necessário para tornar sua aventura inesquecível — positivamente inesquecível, é bom lembrar.

Agora imagine-se no conforto de seu escritório. O ar-condicionado está ligado, há uma copa logo ali para se beber um café fresquinho, os banheiros estão limpos e prontos para uso, sua cadeira é confortável, o celular pode ser usado para pedir comida a qualquer momento… Você precisaria levar sua mochila de acampamento lotada de apetrechos nesse ambiente? Obviamente não. Mas talvez devesse. Só que a mochila não precisará conter fogareiros ou pilhas. É uma mochila diferente, que estará carregando um pacote chamado “gestão de riscos”. 

Qual a realidade de algumas empresas?

Saiba mais sobre o Workshop de Compliance!

Sabe-se que nenhuma empresa está segura, ou seja, os riscos sempre estiveram presentes nas organizações e, de certa forma, fazem parte do jogo — é impossível se ver, totalmente, livre deles.

Uma estratégia de gestão de riscos permite que você identifique os pontos fortes e fracos de sua empresa, as possíveis ameaças e até mesmo as oportunidades (os chamados “riscos positivos”). Além disso, o tratamento de riscos ainda é capaz de gerar outros benefícios, tais como:

  • Agregar valor ao negócio.
  • Proteger o ambiente institucional.
  • Facilitar a tomada de decisões em todos os níveis hierárquicos.
  • Abordar e tratar incertezas (as quais incluem oscilações do mercado).
  • Valorizar o capital humano e intelectual dos colaboradores.
  • Permitir o processo de melhoria contínua em todos os processos da organização.
  • Gerar oportunidades.

O gerenciamento de riscos é composto por seis fases básicas

O gerenciamento de riscos é composto por seis fases básicas
Gestão de Risco: Os Princípios e Diretrizes da ISO 31000

1 – Planejamento: nessa fase, os gestores devem estabelecer o objetivo do gerenciamento dos riscos, detalhando também os departamentos que estarão envolvidos, suas atividades e seus respectivos responsáveis.

2 – Identificação de riscos: esse o momento de definir os principais riscos que podem afetar sua empresa, bem como suas características (e aí entram tanto ameaças quanto oportunidades).

3 – Análise qualitativa de riscos: depois que os riscos são identificados, eles devem ser classificados em grau de exposição e possibilidade de ocorrência. Obviamente os riscos com maior probabilidade de ocorrer e que afetam a empresa mais drasticamente devem ser tratados primeiro.

4 – Análise quantitativa de riscos: é o momento de efetuar uma análise numérica do efeito dos riscos, gerando relatórios com dados sólidos.

5 – Respostas: todo risco deve ser tratado, sem exceção, seja ele negativo ou positivo. A empresa deve elaborar uma resposta para cada um.

6 – Monitoramento: os riscos devem ser monitorados constantemente para que não saiam do controle. Além disso, a fase de monitoramento também vai auxiliar na reclassificação de probabilidade ou intensidade de um risco.

É importantíssimo que em todas as fases todos os funcionários sejam envolvidos na gestão de riscos. Sem uma conscientização geral, a empresa continuará sujeita a riscos e perigos, e alguns deles podem até mesmo colocar em xeque a segurança do negócio.

A empresa deve estar sempre aberta à comunicação, ouvindo seus colaboradores com sinceridade, sem pensar pelo lado da punição caso sejam expostas muitas “verdades”.

Caso a empresa não possua experiência em gerenciamento de riscos ou queira se guiar a partir de padrões reconhecidos internacionalmente, pode recorrer à ISO 31000, norma certificadora criada em 2009 cujo objetivo é fornecer um padrão para a implementação de um gerenciamento de riscos em qualquer organização, independentemente de seu tamanho ou segmento.

Dicas para gerenciar seus riscos

Nenhuma empresa precisa se expor a riscos desnecessariamente — e apenas recentemente tem havido uma compreensão mais significativa sobre a importância da gestão de riscos. Medir riscos é essencial e estratégico; ignorar os riscos ou realizar o gerenciamento deles de maneira inadequada pode não apenas afetar seriamente uma organização, como também mitigar seu futuro.

Que tal preparar sua mochila? Conheça mais sobre os serviços e produtos da Área Técnica da Verde Ghaia, especializada em Gestão de Riscos, Análise de Risco Jurídico, Due Diligence, Pareceres, Seguro Ambiental, dentre outros.

Entre em contato conosco! A Verde Ghaia tem sempre uma solução para o seu negócio!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *